Diabetes: tratamento gratuito e de qualidade
Por Amanda Smith Martins | Fonte: Smith Martins Adv

Diabetes: tratamento gratuito e de qualidade

Dados divulgados pelo governo brasileiro em conjunto com o Ministério da Saúde demonstraram um aumento preocupante em casos no tratamento de diabetes no Brasil. Esta tendência vem sendo observada mundialmente – e, no nosso país, entre 2006 e 2016 os casos aumentaram 61,8%. Entre as mulheres, 9,9% apresentam um dos tipos da doença, e, entre os homens, o índice é de 7,8%, prejudicando o direito à saúde.

Fatores como a prática de atividades físicas e mudanças na alimentação estão entre as principais explicações desse fenômeno. Embora o envelhecimento da população também seja um fator importante, destacamos os casos entre crianças e jovens adultos têm aumentado significativamente, de modo que a prevenção deve ocorrer cada vez mais cedo.

Vale aqui um breve parêntese relevante, para esclarecer[1] os dois tipos de diabetes existentes, quais sejam, o Diabetes Mellitus (Tipo 1) e o Diabetes Tipo 2, segundo a Sociedade Brasileira de Diabetes[2]. A missão desta entidade é contribuir para a prevenção e tratamento adequado de diabetes, disseminando conhecimento técnico-científico aos profissionais da saúde e conscientizando a população a respeito da doença.

O que é o Diabetes Tipo 1?

Em algumas pessoas o sistema imunológico ataca equivocamente as células beta. Logo, pouca ou nenhuma insulina é liberada para o corpo.

Como resultado, a glicose fica no sangue, em vez de ser usada como energia. Esse é o processo que caracteriza o Tipo 1 de diabetes, que concentra entre 5 e 10% das pessoas com a doença.

O Tipo 1 aparece geralmente na infância ou adolescência, mas pode ser diagnosticado em adultos também. Essa variedade sempre é tratada com insulina, medicamentos, planejamento alimentar e atividades físicas, para ajudar a controlar o nível de glicose no sangue.

O que é o Diabetes Tipo 2?

O Tipo 2 aparece quando o organismo não consegue usar adequadamente a insulina que produz; ou não produz insulina suficiente para controlar a taxa de glicemia.

Cerca de 90% das pessoas apresentam diabetes Tipo 2. Ele se manifesta mais frequentemente em adultos, mas também pode ser encontrado entre crianças. Dependendo da gravidade, ele pode ser controlado com atividade física e planejamento alimentar. Em outros casos, exige o uso da insulina e/ou outros medicamentos para controle da glicose.

Tratamento de diabetes e o direito à Saúde

Esclarecidos os tipos da doença, o que muitos portadores da doença desconhecem é que, além de dispositivos gerais sobre o acesso integral ao direito à Saúde previstos na própria Constituição Federal, existe também legislação específica sobre o assunto. A Lei Federal 11.347/2006 garante distribuição gratuita de medicamentos e materiais necessários à sua aplicação e à monitoração da glicemia aos portadores de diabetes.

Assim, o SUS (Sistema Único de Saúde) oferece determinados tratamentos aos diabéticos, através do programa “Aqui Tem Farmácia Popular”. Contudo, muitas vezes o tratamento oferecido não é o mais adequado: existem tipos diferentes de insulina, indicados caso a caso, assim como existem formas distintas de aplicação. Outro problema enfrentado é a falta de materiais de controle adequados, ou da quantidade de insumos para monitoração da glicemia.

De todo modo, existe uma preocupação clara por parte do governo no sentido de impedir que os casos de diabetes aumentem no país (em especial o Tipo 2, que pode ser evitado): uma população saudável e/ou com um tratamento adequado significa a redução de custos na área da saúde, permitindo que os recursos sejam utilizados para outras doenças.

Mesmo nos casos em que a doença é inevitável (Tipo 1), ou em casos de diabetes Tipo 2 já concretizados, o fornecimento de um tratamento digno e adequado a cada caso, é antes um investimento do que uma despesa para o Poder Público. Investimento, pois, no futuro, representa uma grande economia de recursos públicos, ao passo que evita complicações graves da doença.

Podemos concluir, sem medo de errar, que políticas adotadas nesta área são importantes para a população como um todo, tanto para prevenir o surgimento de novos casos entre a população saudável, quanto para evitar que a população diabética precise de tratamentos mais custosos em decorrência de complicações. Para isso, garantir à população tratamentos regulares, eficazes e adequados é uma necessidade.

Você conhece alguém que sofre de diabetes? E você sabia que o governo brasileiro deve oferecer tratamento gratuitamente para a doença? Compartilhe este texto e ajude mais pessoas a conhecerem os seus direitos. A informação é o primeiro passo para uma população mais saudável!

Saiba mais sobre direito à saúde clicando aqui.

[1] https://www.diabetes.org.br/publico/diabetes/tipos-de-diabetes

[2] https://www.diabetes.org.br/publico/institucional/conheca-a-sbd

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *