Coronavírus: falta de hidroxicloroquina prejudica pessoas que precisam do remédio
Por Da Redação | Fonte: Smith Martins Adv

Coronavírus: falta de hidroxicloroquina prejudica pessoas que precisam do remédio

Na falta de vacina e antivirais específicos para tratar o novo coronavírus, pesquisadores em todo o mundo têm investigado remédios já existentes para atuar contra a COVID-19. Uma das candidatas é a hidroxicloroquina.

O remédio é usado para combater malária, lupus e outras doenças importantes.

Nada contra os testes para curar a pandemia, mas o resultado dessa especulação é que pessoas que realmente precisam do remédio não têm encontrado para comprar nas farmácias, pois há quem já esteja fazendo estoque caseiro de hidroxicloroquina.

Médicos infectologistas são unânimes em afirmar que não existe no mundo nenhum estudo científico comprovando a eficácia do uso do medicamento Hidroxicloroquina para combater o coronavírus.

Os especialistas afirmaram ainda que o medicamento  tem efeitos colaterais severos  – hepatite, pancreatite e alterações da pigmentação da pele, entre os mais comuns-,  e só pode ser usado, portanto, com aprovação médica.

Hidroxicloroquina para pesquisa

O professor da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Unaí Tupinambás, infectologista e integrante da frente de combate ao coronavírus criada pelas Secretarias de Minas e de Belo Horizonte da Saúde (SEEs), juntamente com a UFMG, disse para uma reportagem ao Estado de Minas que a população deve evitar comprar o remédio tendo em vista também a pesquisa, na capital,  por força-tarefa de especialistas da universidade e SEEs.”Não pode ficar em falta nas farmácias para a pesquisa”, advertiu o médico.

O Conselho Federal de Medicina (CFM) afirmou querer que a venda de medicamentos que contém hidroxicloroquina e cloroquina seja autorizada apenas com receita médica.

A entidade argumenta que a compra e o uso indiscriminado deste medicamento não é recomendada, além de apontar desabastecimento destes produtos pela compra desnecessária.

No Brasil, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) disse que os estudos sobre uso de medicamentos com essas substâncias ainda não são conclusivos.

“A automedicação pode representar grave risco à saúde e o consumo desnecessário pode acarretar desabastecimento dessas fórmulas, prejudicando pacientes que delas fazem uso contínuo para tratamento de doenças reumáticas e dermatológicas, além de malária”, afirma o CFM em nota enviada ontem à Anvisa.

Como conseguir Hidroxicloroquina

O Judiciário não aceitará pedidos de Hidroxicloroquina para possível tratamento do Coronavírus, ainda em fase experimental. Caso haja suspeita do vírus, o paciente deve procurar orientações médicas imediatemente.

Para quem precisa de Hidroxicloroquina para uso regular, como lupos e malária, o Judiciário pode e deve fornecer o medicamento, que já apresenta baixa em algumas farmácias e unidades básicas de saúde.

O aconselhamento aqui é não estocar Hidroxicloroquina para não prejudicar quem precisa.

Se você precisa de ajuda para ter acesso ao remédio, nós podemos ajudar. Atendemos pacientes que não conseguem garantir direito ao medicamento ou tratamentos pelo SUS (Sistema Único de Saúde), e atuamos em defesa daqueles que têm problemas relacionados a planos de saúde. Saiba mais clicando aqui.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *